venerdì 14 maggio 2010

MAU OU MAL?

Esta é uma das grandes dificuldades com que se deparam as pessoas ao ter que escrever este termo. Os que acompanham a nossa coluna no Diário do Nordeste todas as segundas-feiras, Palavra, Lógica e Sentido, vão aprender no próximo dia 17 que mau é o contrário de bom e mal é o contrário de bem. Portanto, basta fazer a pergunta sobre o contrário da palavra para saber como escrevê-la.

Mau – Do latim, malus = que causa mal, cruel, funesto, nefasto, nocivo, malvado e também grosseiro = ele atendeu o cliente com maus modos; sem talento ou inábil = ele era um mau pintor. O superlativo de “mau” é péssimo ou malíssimo.

Quando usar “mau” ou “mal”. Mau é o contrário de “bom”; mal é o antônimo de “bem”. Há uma regra simples: a) se a palavra que acompanha é substantivo, usa-se “mau”, ex: mau-caráter, mau-
-olhado, maus-tratos, mau-vizinho... e sem hífen: ato mau, mau exemplo, mau negócio, mau conselho, mau costume, etc. b) Se for verbo, advérbio ou adjetivo, usa-se “mal”, como: mal-estar, mal-agradecido, mal-aconselhado, mal-acostumado, mal-apresentado, mal-educado, livro mal traduzido, carta mal escrita, passar mal, sair-
-se mal.

Atenção para o uso de “malgrado” e “mau grado”: usa-se malgrado quando se quer dizer “não obstante”, ou “apesar de”... “não conseguimos salvar a vítima, malgrado nossos ingentes esforços”; emprega-se mau grado, quando se quer dizer “contra a vontade” ou “a contragosto”... “mau grado meu, ela me acompanhou”; “ele comprou de mau grado um ponto da rifa”.

Nessun commento:

Posta un commento